Esclarecendo o teste com filtros solares veiculado em vários jornais e revistas

Tendo em vista a matéria publicada na revista Pro Teste número 87, de dezembro de 2009, a Anvisa esclareceu (e nós assinamos embaixo) que:” Em relação ao estudo realizado pela PRO TESTE, não se pode avaliar os resultados apresentados sem tomar conhecimento das metodologias empregadas nos testes.  O ingrediente benzophenone-3 (benzofenona), mencionado na matéria, é permitido, mas em concentrações de até 10%, conforme consta da RDC 47/06.  Essa substância é permitida como filtro solar também nos países da União Européia e nos Estados Unidos. Ao contrário do que afirma a matéria, a RDC 237/02 traz controle e exigências relativas à proteção UVA” . A quantificação da proteção UVA, embora ainda controversa a melhor forma de sua mensuração, deverá ser realizada através de metodologias reconhecidas.   Para registro dos filtros solares , assim como de outros produtos, foi necessária a apresentação de teste de eficácia de uso do produto acabado.

Desta forma, ficam esclarecidas as dúvidas que ficaram a respeito dos testes feitos pelo laboratório PROTESTE e lembramos que o uso dos protetores solares é apenas uma das armas para prevenção dos danos causados pela exposição ao sol. Métodos de barreira física, como camisetas, bonés, barracas são fundamentais, assim como evitar o sol das 10 às 15 horas.

This entry was posted in Proteção Solar. Bookmark the permalink.