Queda de cabelos

A queda de cabelos pode ter muitas causas.

A primeira coisa que devemos avaliar é se a queda é fisiológica (normal) ou patológica (derivada de uma doença) .

A perda fisiológica é de 100-150 fios por dia. Esses são os fios que perdemos naturalmente para que novos fios possam crescer em seu lugar. Uma maneira prática de avaliar se seu cabelo cai mais que o normal é verificar se houve ou não redução do volume em um curto espaço de tempo. Se a queda está presente há apenas alguns meses e já houve redução significativa do volume é provável que esta queda seja patológica.

No período pós-parto é comum a perda de cabelos. Ela se dá pelas alterações hormonais que acontecem nesse período. Começa por volta de 3 meses após o parto e pode durar por até 6 meses.

Outra causa freqüente de queda são os regimes de emagrecimento. A perda de peso, mesmo dentro de um programa alimentar equilibrado, leva à queda de cabelos. Nesses casos a queda pára quando o peso se estabiliza e há recuperação completa.

A dermatite seborreica (seborréia ou caspa do couro cabeludo) também pode causar queda. O tratamento desta condição com shampoos e loções apropriados corrige o problema.

Os tratamentos químicos, principalmente os de alisamento, causam enfraquecimento da estrutura do cabelo. Neste caso, o cabelo não costuma cair mas sim quebrar o que freqüentemente é confundido com queda.

Outras causas de queda são anemia, deficiência de ferro e zinco, distúrbios da tireóide, doenças crônicas, stress, ingestão de determinados medicamentos e após cirurgias.

A herança genética é o fator predisponente na calvície, cientificamente conhecida como alopecia androgenética. Ela pode acontecer em homens e mulheres e começar na adolescência ou mais tarde. Costuma ser gradual com diminuição do volume e afinamento dos fios. Hoje existem diversos tratamentos com bons resultados mas é importante que o tratamento seja feito precocemente pois assim as chances de bons resultados são melhores.

É importante que se consulte um dermatologista para que se faça uma avaliação do cabelo e do couro cabeludo. Se necessário serão solicitados exames de sangue para avaliar melhor o problema. Em casos de difícil diagnóstico pode ser necessária a realização de biópsia do couro cabeludo.

This entry was posted in Cabelos. Bookmark the permalink.