Filtro solar: você sabe como escolher?

O verão chegou e com força total. Iniciando os posts de 2011, daremos algumas dicas úteis para “decifrar” os rótulos dos filtros solares.

No passado, os dermatologistas (e nós nos incluímos nesse grupo) diziam que após o FPS 30, todos os filtros protegiam da mesma forma.  Hoje em dia sabemos que não é assim.

Ao analisar um filtro solar, devemos considerar não somente a proteção FPS (que é o número que consta no rótulo do  filtro) e que corresponde SOMENTE à proteção anti- radiação UVB), mas também a proteção anti-UVA.

A proteção anti-UVB é importante pois a radiação UVB, que está presente entre 10 e 15 h e aumenta de intensidade no verão, causa queimaduras e câncer de pele. Já a proteção anti-UVA é importante, pois ela penetra mais profundamente na pele, causando envelhecimento (pois destrói o colágeno) e contribuindo, embora em menor grau, para o câncer da pele. A proteção UVA está presente desde que o dia amanhece até a hora em que o sol se põe.

Assim não só o FPS deve ser alto como devemos checar se ele tem proteção anti-UVA, que é medida pelo índice PPD, que deve ser 1/3 do FPS. Os protetores chamados de “amplo espectro” são os que protegem para UVA e UVB.

São exemplos de filtros UVB: padimato O, octil-metoxicinamato, octil-salicilato, octocrileno e ensulizole. São exemplos de filtros com proteção UVA: oxibenzona, avobenzona (Parsol 1789), ecamsule (Mexoryl SX®),   Helioplex®.

De acordo com a legislação européia (COLIPA), todos os filtros solares (incluindo os famosos franceses) devem conter no seu rótulo FPS até 50. Acima de FPS 50, todos são englobados na categoria ” 50+ ” (assim são filtros 50+, todos os filtros acima de 50: 60, 70, 85, 90, 100).

De acordo com a legislação brasileira (e americana), os filtros ainda são rotulados até FPS 100.

Há uma tendência em se abolir o termo “bloqueador solar” pois se confunde com “filtro solar”, dando a falsa impressão de que os bloqueadores protegem mais. Na verdade nenhum filtro “bloqueia o sol” e sim reduz a chance de queimaduras, câncer, manchas e envelhecimento precoce. Reduz, mas não anula.

Devemos mencionar os filtros físicos (dióxido de titânio e óxido de zinco), com proteção anti-UVA e UVB. São aqueles filtros que deixam a pele esbranquiçada e que demoram a sair após o banho. Apesar desse incoveniente, eles conferem maior resistência e proteção à pele, pois são agentes físicos, ou seja, inertes e que fazem efeito de barreira. Uma saída para esse efeito esbranquiçado são os filtros com tonalizantes ou com cor de base, que contém filtros físicos e são especialmente indicados para que tem manchas ou melasma.

Outro fator a considerar é o veículo do filtro: emulsão, gel, spray, serum, stick, loção cremosa ou creme. Gel oil-free, spray oil-free serum são especialmente indicados para peles mais oleosas. Loçao e cremes estão mais indicados para peles maduras e envelhecidas. Spray são ótimos para homens (áreas pilosas) e prática de esporte.

Consulte sua dermatologista para saber o mais indicado para você.

This entry was posted in Uncategorized. Bookmark the permalink.