Filtros “water-resistant”, “water-proof”, à prova d´água….realmente funcionam?

Os filtros solares não são totalmente à prova d´água. É importante entender o que a indústria farmacêutica quer dizer quando esta frase vem escrita no frasco do filtro.

É verdade que, mesmo usando filtros solares mais potentes, se permanecermos na piscina ou na praia sob o sol, iremos queimar e/ou bronzear. No passado, a questão da resistência a água era muito enfatizada pela indústria farmacêutica para comercializar os filtros e este “título” constava no rótulo da maior parte dos produtos. Hoje em dia, isso mudou. Até mesmo porque, com a prática e experiência, sabemos que não é muito bem assim….

Os filtros são testados em imersão em água condições de pesquisa/laboratório: ou seja, não são as circunstâncias naturais de praia e piscina onde há vento, ondas, crianças no colo, atrito do esporte etc… que alteram a permanência do filtro na pele.

Por definição, os filtros “resistentes à água” são capazes de resistir a 40 minutos de imersão em água, enquanto que os à prova d’água resistem a 80 minutos de imersão em água.

O que muda a resistência à água é uma propriedade chamada “substantividade” do filtro, que modifica à aderência do filtro à pele. De fato, protetores solares “resistentes à água” ou os à “prova d´água” são melhores para exposição solar associada à permanência na água praia/piscina ou com o suor da atividade física, mas NEM tanto assim. Fundamental é evitar a exposição prolongada, permanecer na sombra e usar camisetas feitas com tecidos específicos contendo FPS.

Bom verão !

This entry was posted in Uncategorized. Bookmark the permalink.