Eletricidade estática dos cabelos: você já deve conhecê-la.

Image

Embora esse nome cause estranheza num primeiro momento, a eletricidade estática dos cabelos corresponde aquele aspecto arrepiado dos fios. Normalmente nossos cabelos estão em um estado de equilibrio eletrônico que é desestruturado quando lavamos os cabelos ou penteamos com escovas de metal.

A eletricidade estática promove o efeito frizz e ressecado nos fios, pois as hastes capilares adquirem cargas elétricas que se repelem. Esse aspecto arrepiado pode ser contornado penteando os cabelos sob baixas condições de temperatura (como um jato frio de secador) ou aumentando a umidade capilar.

Ao lavar o cabelo com shampoo, que possui, entre outros, agentes detergentes que limpam o couro cabeludo e os fios, a haste capilar adquire carga negativa, gerando o aspecto mais ressecado. Em seguida é necessário o uso do condicionador, que normalmente é catiônico e restaura o equilíbrio eletrônico do fio, promovendo desembaraçamento imediato dos fios e maciez. Daí o efeito anti-frizz da maioria dos condicionadores.

Hoje em dia os shampoos podem conter mais de 30 compostos, entre agentes detergentes, promovedores de espuma, espessantes, fragrância, agentes condicionantes. Já os condicionadores contém ceras, óleos, ácidos graxos, triglicerídeos e silicones.

As tendências atuais são o uso de shampoos sem sulfato ( o lauril- e laureth- sulfato de sódio promovem uma limpeza profunda do fio com consequente ressecamento), com ação mais suave, e o acréscimo de filtro UV nos condicionadores e  “leave-in”.  O filtro UV não somente protege a coloração dos fios, mas forma um filme protetor na haste capilar, o que minimiza a quebra das pontes de enxofre, que é causada pela radiação UVB.  Estas pontes são responsaveis pela manutenção da estrutura tridimensional da queratina, diretamente relacionada à firmeza dos fios.

This entry was posted in Uncategorized. Bookmark the permalink.